Buscar
  • Pitacos

Revista Piauí: o jornalismo que conta boas histórias

Conheça mais sobre a revista que é um dos grandes nomes do jornalismo literário brasileiro


Juliana Sorrenti

Capa da edição de outubro de 2020 da revista piauí (Imagem: Reprodução)


Criada em 2006 pelo documentarista e cineasta João Moreira Salles, a revista piauí celebra neste mês de outubro o aniversário de 14 anos. Ainda na adolescência, a revista reflete os ideais revolucionários próprios à juventude. Fugindo do convencional, ela vem alcançando novos públicos com a seriedade característica, mas sem perder a leveza de quem quer contar boas histórias.


Mais conhecida pelo símbolo caricato do pinguim de boina verde à Che Guevara, o lema da revista, nas palavras do editor fundador, é justamente esse: “A piauí busca boas histórias – e bem contadas. Cobre qualquer assunto que uma reportagem possa tornar interessante”. Assim como outros veículos internacionais famosos, como o New Yorker, a revista é comprometida com o jornalismo literário, dando vida a reportagens antes empobrecidas pelo afastamento do repórter e a falsa sensação de imparcialidade.


Pinguim da piauí (Imagem: Reprodução)


Com pouco mais de 30 funcionários e colaboradores de A à Z, a redação é pequena se comparada aos grandes veículos. No entanto, a piauí não perde em nada. De política a cultura, a revista está conquistando espaço entre os leitores – e até mesmo ouvintes – mais progressistas. A tiragem de julho ultrapassou 50 mil exemplares. Já o Foro de Teresina, o podcast de política, aparece nas primeiras colocações da lista dos mais ouvidos no Brasil do Spotify.


O sucesso não é apenas percebido pelo público não-especializado. Em 2010, João Moreira Salles, editor fundador da revista, ganhou o prêmio Esso de Informação Científica, Tecnológica e Ambiental pelo trabalho Artur tem um problema. As duas últimas edições do prêmio Vladimir Herzog, 41º e 42º, também premiaram a piauí. Em 2019, na categoria melhor produção jornalística em texto, o repórter Bernardo Esteves ganhou menção honrosa por O meio ambiente como estorvo. Em 2020, foi a vez da jornalista Amanda Rossi conquistar a menção honrosa na mesma categoria com a reportagem Fragmentos de vida e morte.


A revista pode ser assinada por até três anos a partir de um valor não muito acessível para universitários desempregados. Mas, felizmente, para aqueles que assim como eu não podem custear dezenas parcelas mensais, a newsletter da piauí é uma oportunidade de conhecer o veículo sem comprometer o bolso. Gratuita, toda sexta-feira, meio-dia em ponto, a notificação do e-mail anuncia a chegada de mais uma seleção imperdível das melhores reportagens e colunas, além dos novos episódios do podcast.


Como se inscrever: Acesse a revista piauí, insira seu nome e seu endereço de e-mail nos espaços indicados. Após alguns segundos, um e-mail de confirmação será enviado para a caixa de entrada, no qual você deve confirmar sua inscrição. Fácil e rápido! Agora é só esperar até a próxima sexta-feira para ficar por dentro das novidades.

48 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo