Buscar

Homem de Ferro e Christine Everhart: o papel da jornalista na construção do herói

Atualizado: 7 de jun.

Lara Ximenes


Christine Everhart entrevista Tony Stark (Imagem: Reprodução)


Quando você pensa no filme Homem de Ferro, o que vem à mente? A armadura vermelha e dourada? Um ator com bigode, barba e os memoráveis óculos escuros? Poucos espectadores, ou talvez nenhum, citaria uma jornalista que aparece nos filmes.


Christine Everhart não é um nome muito conhecido no universo cinematográfico da Marvel, apesar de suas constantes aparições. A personagem é uma jornalista formada na Universidade de Brown que se tornou repórter da Vanity Fair. Sua primeira aparição foi no filme Homem de Ferro (2008), o primeiro dedicado ao personagem, e ela continuou sendo uma constante personalidade na Marvel. Embora quase invisível aos olhos do público, sua presença lembra a importância do jornalismo na formação de heróis na mídia cinematográfica.


No filme de 2008, Christine confronta Tony Stark, o protagonista, sobre a venda de armas nucleares da sua indústria. O herói, herdeiro de uma enorme empresa, é famoso por ter dinheiro, fazer armas explosivas e ser festeiro. Quando Tony diz a ela que “Paz significa ter um bastão maior do que o seu inimigo”, Christine afirma que essa é uma definição curiosa para quem está vendendo o tal “bastão” e o acusa de lucrar com as guerras. A jornalista não convenceu o personagem a parar com a produção de armas, mas serviu para alertar o público sobre as contradições do protagonista.


Christine é uma jornalista de língua afiada, que tem convicções fortes e não teme enfrentar grandes figuras para gerar informação. Sua aparição, porém, é prejudicada pela decisão dos roteiristas de fazer dela amante do protagonista, evidenciando a fama de garanhão de Tony Stark. Mesmo assim, não é a última vez que veremos Christine.


Depois de sofrer um sequestro e sofrer na pele as consequências da disputa pelo controle de armas, o protagonista decide parar de produzir armas das Indústrias Stark. Christine é a virada de chave necessária para que ele perceba que tudo não é tão simples. Após nova investigação, ela mais uma vez o responsabiliza: as suas armas ainda estão sendo vendidas e utilizadas por criminosos no Oriente Médio.


Poucos créditos são dados à jornalista por ser a única responsável por revelar a Tony Stark que o sócio dele continua vendendo armas às escondidas, o que desencadeia o principal conflito do filme. Stark precisa entrar em sua armadura de Homem de Ferro para batalhar contra seu antigo aliado, que agora pretende se livrar dele e tomar conta da empresa. A trama revela também que esse mesmo rival armou o sequestro. Se Christine Everhart tivesse cegamente acreditado nas boas intenções do bilionário, é possível que o vilão tivesse seguido seu plano e conseguido dar um fim ao nosso não-tão-carismático herói.


A jornalista surge novamente na última cena de Homem de Ferro, muitas vezes lembrada na história do personagem. Depois da aparição de um homem enlatado que voava e combatia criminosos e a ligação clara entre este e as Indústrias Stark, Tony Stark ainda pretende enganar as dezenas de repórteres com uma história falsa. Ele poderia, talvez, se na entrevista coletiva não estivesse presente a jornalista Christine Everhart. Entre falas decoradas de Tony Stark, a jornalista não deixa o bilionário dizer duas frases antes de levantar o braço e interromper o discurso. Com seu conhecimento prévio das falácias do personagem, ela imediatamente questiona a história oficial e desestabiliza o entrevistado, que confessa para todos: ele é Homem de Ferro.


Embora raramente jornalistas consigam confissões espontâneas como essa, a cena oferece ensinamentos. O comportamento de Christine evoca uma máxima conhecida entre muitos jornalistas. Louis Heren, um grande defensor da liberdade de imprensa, é lembrado pelo conselho: “Quando um político te diz algo confiantemente, pergunte a si mesmo: por que esse canalha está mentindo para mim?"


Tony Stark, assim como todos outros entrevistados políticos ou não políticos, tem seu motivo para mentir. Não seria de seu interesse que descobrissem sua identidade secreta nem que sua reputação no mercado fosse questionada pelo hábito de se vestir de titânio e atirar em caras maus. Está em sua natureza proteger seus próprios segredos. Assim como está no interesse de Christine Everhart, como jornalista, buscar informações importantes ao público de sua revista e de todo o mundo. Um homem com poderes não especificados está causando aflição à sociedade. Ele está contra criminosos, mas até quando esse homem misterioso estaria do mesmo lado que a população? Como impor normas a um herói que ninguém conhece? Esses são os interesses defendidos por ela, o motivo de ela estar se perguntando: “Por que o canalha do Tony Stark está mentindo para mim?”


Christine Everhart, apesar de seu repentino envolvimento romântico com Tony Stark, não é uma fã dele. Seus posicionamentos sempre entram em conflito com os do mesmo. Apesar disso, ela nunca recusa a oportunidade de entrevistá-lo. Mesmo com opiniões sobre uma personalidade, a jornalista busca pluralismo e pensamentos de indivíduos de todos os lados da discussão.

A personagem, fora do filme, aparece outras vezes como repórter, sempre com seu gravador portátil para poder começar a trabalhar a qualquer instante. Volta a aparecer na webserie “WHiH News Front”, na qual entrevista o Homem Formiga e relata eventos sobre outros filmes da empresa. Sua participação no universo Marvel confirma que a presença do jornalista é necessária para representar o interesse do público durante tempos confusos.

32 visualizações0 comentário