top of page
Buscar
  • Foto do escritorPitacos

Rádio na pista: Explorando o boom dos podcasts jornalísticos na Fórmula 1

Atualizado: 27 de out. de 2023


O surgimento de novos podcasts jornalísticos dedicados a principal categoria do automobilismo mundial, a Formula 1.


Interlagos 2019. Reprodução: Formula 1


No universo da Formula 1, onde cada curva, cada circuito e cada reta contam uma história de adrenalina e estratégia, mudanças na cobertura vem acontecendo nos últimos anos. Longe dos roncos dos motores e mais perto dos aplausos das arquibancadas, vozes cativantes surgiram com análises e informações certeiras através dos podcasts jornalísticos dedicados ao mundo da corrida de carros mais prestigiada do planeta.


Esse fenômeno proporciona aos fãs uma imersão única, mas também desafia as fronteiras da cobertura jornalística convencional, oferecendo uma nova perspectiva mais profunda e pessoal sobre os bastidores do evento. Os podcasts são apresentados por jornalistas especializados e comentaristas dispostos em não só relatar os eventos, mas também em oferecer insights, entrevistas exclusivas, análises aprofundadas e informações valiosas sobre os bastidores


A mídia em ascensão proporciona aos ouvintes uma experiência diferenciada em uma atmosfera mais descontraída, aproximando-os de seus pilotos e equipes favoritas de uma maneira que ultrapassa os limites da televisão.


O podcast Traduzindo F1, exibido semanalmente e apresentado pela jornalista esportiva Kalinka Schutel e o ex-piloto da 'Posche Cup', Max Wilson, tem como objetivo principal analisar e comentar todos os detalhes, informações e curiosidades da principal categoria do automobilismo mundial. A transmissão tem produção Grupo Bandeirantes, atual detentor dos direitos de transmissão da Formula 1 no Brasil.


Reprodução: Youtube


Este programa é um ótimo exemplo de como produzir um podcast voltado tanto para os fãs, quanto para aqueles que desejam entender mais sobre o esporte de uma maneira mais descontraída e menos formal através da web, sem perder aquela essência de transmissão de estilo televisivo.


Com a ascensão desses podcasts, surge uma nova forma de como os fãs consomem informações jornalísticas sobre o esporte, que consequentemente abriu portas para uma participação mais ativa e significativa de profissionais mais jovens e de mulheres na cobertura automobilística.


O podcast No paddock com Julianne Cerasoli, da jornalista esportiva do UOL e Grupo Band, foi lançado em 2019 através plataforma Catarse, e busca aproximar os fãs do mundo da Formula 1, principalmente as mulheres, por meio de conteúdos exclusivos produzidos por ela. Os formatos vão desde podcasts semanais a transmissões ao vivo diretamente do paddock, além de sorteios valendo brindes.


Reprodução: Catarse


Julianne, juntamente com a jornalista Mariana Becker, foi uma das pioneiras entre os jornalistas brasileiros a trabalhar na cobertura da Formula 1. Desde 2011, ela já presenciou mais de 150 Grandes Prêmios ao redor do mundo. Atualmente, é a única escrevendo matérias em língua portuguesa sobre as etapas de corrida, além de ser produtora da TV Band desde de 2021, desempenhando um papel significativo no cenário jornalístico da F1.


O aumento significativo de vozes femininas nas narrativas da Formula 1 é um marco que não apenas reflete na diversidade crescente dos fãs do esporte, mas também traz benefícios notáveis para a sua narrativa. Mais do que uma simples evolução na representação de gênero, esse fenômeno se transforma em uma verdadeira celebração da expertise e paixão das mulheres em um cenário historicamente dominado pelo sexo masculino. Estas mulheres não só contribuem com análises perspicazes que enriquecem as discussões, mas também desafiam estereótipos enraizados, servindo como fonte de inspiração para uma nova geração de futuras jornalistas e comentaristas.


Esse movimento convoca todos os telespectadores e admiradores da categoria a perceberem que as transmissões vão além do âmbito esportivo sério, demonstrando que é possível ter a excelência esportiva fora do campo televisivo e igualdade de gênero coexistindo em direção à evolução para um esporte mais inclusivo e dinâmico.


Não é à toa que com todo esse boom, cada vez mais irão surgir novos podcasts com novas maneiras de narração, novos locais e plataformas de transmissões e muitas novas vozes.


60 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page