Buscar

O retrato do jornalismo na série Smallville

Maria Luise Brey


Smallville é uma série criada em 2001, que conta a vida pessoal de Clark Kent e seus desafios até se tornar o lendário Superman. Para muitos, ela é apenas mais uma série sobre super-heróis. Mas há um elemento em segundo plano que acompanha a vida de Clark desde sua adolescência: o jornalismo.


(Clark Kent e Lois Lane no Planeta Diário / Imagem: Reprodução)


O primeiro contato da série com a profissão acontece durante o colegial de Clark, graças a sua melhor amiga Chloe, que comandava A Tocha, o jornal do colégio. Desde a primeira temporada os dois investigam casos curiosos que acontecem na cidade, devido à exposição das pessoas a um meteoro que as proporciona poderes.


No começo, o jornalismo se ilustra através de Chloe, que demonstra aptidão e entusiasmo com a profissão, o que acaba contagiando Clark. Nesse momento, Chloe exerce o papel de repórter e editora, correndo sempre atrás dos casos, das fontes e entregando em dia as edições do jornal. Já aí, pode-se perceber a glamourização da profissão que a série faz e traz, passando a sensação de que bastava paixão e determinação para ser um bom jornalista.


Outro aspecto interessante trabalhado foi a mentira que paira sobre a vida dos personagens: seja com Clark escondendo seus poderes, ou com Chloe inventando sempre alguma história para conseguir as informações necessárias para suas matérias. O perigo também era aliado da mentira, e cercava a vida dos personagens. Esses dois elementos associados, reforçam o estereótipo de que a vida do jornalista é sempre agitada, cheia de aventuras e mentiras.


Narrativas como essas reforçam a profissão como romântica, segundo a doutora em Comunicação e Cultura pela UFRJ, Maristela Fittipaldi Vianna da Silva:

“Isso é apenas mais um motivo para personagens, filmes e séries sobre jornalistas serem tão queridos pelo público. Histórias assim não apenas tratam de desvendar o porquê de um acontecimento ter se tornado notícia, mas também mostra o acontecimento e a repercussão, isto é, todo o processo do jornalista atrás de suas pistas. Acaba se tornando uma história com dois lados: o fato em si e a criação midiática ao seu redor”.

Apesar do foco da série não ser sobre o processo jornalístico, em muitos momentos vemos como ele se desenvolve na história de Smallville.


Depois de algumas temporadas, Clark aceita o conselho de Lois Lane 一 que mais tarde se tornará sua grande paixão e esposa 一 a se candidatar a uma vaga de repórter no Planeta Diário, que podemos considerar como uma espécie de The New York Times, só que do mundo da DC Comics. E é a partir desse momento que o jornalismo profissional fica cada vez mais presente na série.



(Clark Kent e Lois Lane no Planeta Diário / Imagem: Reprodução)


A ligação dos super-heróis à profissão de repórter já é comum, isso porque ela permite que eles se locomovam pela cidade e fiquem um grande período de tempo fora das salas de redação. Para Clark Kent, esse é o disfarce perfeito para combater o crime de uma forma diferente do Superman, como relata Brian Michael Bendis, atual roteirista das HQs do herói:

“O que me fascina, acima de tudo o que ele pode fazer, é que ele escolheu ser um repórter. Ele não precisaria ter nenhuma identidade secreta. Acredito que o motivo dele ter escolhido ser um repórter é que essa é a única profissão onde ele pode fazer justiça de um jeito que o Superman não consegue. Ele pode revelar a verdade. Esse é o trabalho de Clark”.

Ao contrário do que algumas pessoas podem pensar, Clark não é o destaque em seu jornal, mas sim Lois Lane, que na série é considerada como uma das melhores jornalistas. Ela é o tipo de repórter que faz o que for preciso para conseguir a matéria, se colocando diversas vezes em perigo para coletar provas. Mas, apesar do seu lado extremamente competitivo, uma de suas maiores virtudes é ser verdadeira e bondosa. Assim, logo no começo da carreira de Clark no Planeta Diário, a repórter faz uma lista para ajudá-lo a se virar nesse novo mundo: as regras de reportagem da Lois.


(As regras de reportagem da Lois / Imagem: Reprodução)


Apesar de Lois criar essas regras, ela e Clark não a seguiam veementemente, isso porque na maioria das vezes algo muito ruim estava acontecendo em Metrópolis 一 cidade em que se passa a história, o que levava Clark a salvar a capital. Mas para ele isso não era um problema, já que em suas palavras, ele escolheu a profissão: "Porque sempre estaria no meio da ação. Seria capaz de sair de vista e me tornar o Superman sempre que Metrópolis precisasse de mim”. Ele sabia que não podia 一 e nem almejava 一 ser o melhor jornalista, para não estragar seu disfarce, mas com o passar do tempo é possível ver o carinho que ele desenvolve pela profissão. E também o amadurecimento pessoal e profissional, tanto de Clark como de Lois.


Para Clark, o jornalismo era uma muleta e um meio de fuga da realidade. Muleta, pois o Planeta Diário era sempre um dos primeiros a receber informações, possibilitando a ele conseguir saber em primeira mão tudo sobre os crimes e, correr para salvar a todos. E fuga, porque na sala de redação ele era apenas o repórter Clark Kent — atrapalhado, quieto e anônimo — que não precisa usar seus poderes para fazer a diferença que deseja na Terra.


Independente da romantização imposta à profissão na série, e dos estereótipos de repórteres criados, ela consegue demonstrar a paixão que os personagens sentiam pelo trabalho. E para aqueles apaixonados por histórias de super-heróis e jornalismo, Smallville é uma ótima indicação e mistura desses dois mundos.


86 visualizações0 comentário