Buscar

Liliana de La Torre e os múltiplos caminhos da comunicação

Adriano Assumpção


Em mais uma edição do ECOversa (terça-feira, dia 5 de outubro), foi a vez da jornalista Liliana de La Torre ser a entrevistada. Liliana fez sua habilitação em jornalismo pela FACHA, é pós-graduada em comunicação empresarial, cursou MBA em marketing digital e atualmente, após passagens por redação, rádio e televisão, atua como assessora de imprensa.


Liliana contou que desde pequena teve uma jornalista dentro de si. Sempre teve aptidão e prazer em escrever na escola, mas se descobriu através de um amigo de seu pai que contava sobre suas experiências, para ela marcantes, como correspondente de guerra nos anos 80, época aonde internet e outras tecnologias atuais eram praticamente inexistentes. A partir daí, na época de seus 14 para 15 anos, Liliana nunca mais pensou em ser nada (a não ser atriz, uma de suas grandes paixões) além de jornalista.

A entrevistada ingressou na sua primeira faculdade de comunicação (UERJ) em um período marcado pela ditadura no Brasil, mas ao perceber que a universidade não oferecia o curso de jornalismo que tanto queria, resolveu estagiar para pagar ela mesma mensalidades de uma faculdade particular. Liliana descreve a época em que se formava como “tempos de reabertura”, já que o movimento de Diretas Já e a luta pelo fim do regime militar em nosso país aconteciam, a motivando a escrever sobre democracia e liberdade.

Em um momento na entrevista, Liliana exaltou muito os seus professores de faculdade e diz que guarda somente bons aprendizados (teve aula inclusive com o célebre Artur Xexéo, falecido em 2021), mas disse que seus preferidos foram os de dentro da redação e da assessoria de imprensa. Aprendeu muito nesses setores a escrever, apurar, adquirir e preservar fontes de informações, mas principalmente, se fazer entender, algo crucial na comunicação.

Quando perguntada sobre se ela teve um foco específico na área, a jornalista disse que não entrou na faculdade com nenhum caminho definido, mas que atuar na redação abriu os olhos dela para o jornalismo cultural, editoria que ela mais gostou de trabalhar em sua carreira. A sua transição para a assessoria de imprensa ocorreu muito por conta de sua vida pessoal, já que precisava de mais tempo com os filhos pequenos e de um trabalho com o horário mais definido e essa experiência somou muito a ela como profissional.

Recentemente, muito por conta de suas experiências na assessoria de imprensa, Liliana fez um MBA em marketing digital, algo que abriu portas e a ajudou muito a aprimorar a comunicação dela e de outras pessoas dentro das empresas que ela trabalhou. Liliana diz que a ética na comunicação entre os profissionais é algo fundamental para o bom funcionamento de uma organização ou, no caso da assessoria de imprensa, uma equipe.

E para finalizar, Liliana deu a principal dica para os jornalistas e comunicadores do futuro: Gostar de gente!! É preciso ter ética e empatia para lidar com o público, com o entrevistado ou com seus colegas de emprego, e escutar sempre o que o outro tem a dizer, independente de ideologias diferentes, é fundamental.

Mais sobre a Liliana e suas experiências interessantíssimas, assim como outras entrevistas como essa, você pode ver no Instagram do ECOnversa (@econversaufrj).


7 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo