top of page
Buscar
  • Pitacos

“Isso não é letra de rap, é jornalista falando”

Atualizado: 23 de dez. de 2022

Semayat Oliveira é a jornalista por trás do podcast Mano a Mano


Mariana Coutinho


‘Salve, rapa! Salve, massa!’. Estreando em 2021, o podcast original e exclusivo do Spotify –em parceria com a MugShot, Boogie Naipe e Agência GANA– faz uso indiscriminado do que há de fundamental numa democracia plena: o diálogo. O paulista Mano Brown, provavelmente o maior rapper brasileiro, coloca-se na posição inédita de apresentador e não hesita em promover debates, por vezes, polêmicos, sensíveis, desconfortáveis, mas, acima de tudo, relevantes. Não só o rigor com a veracidade dos fatos, como a fluidez das entrevistas, são consequências da co-apresentação de Semayat Oliveira, jornalista por formação, que se encarrega de prestar o papel de consultora jornalística durante os episódios.

Capa do podcast Mano a Mano (Imagem: Reprodução)

De Lula a Jojo Toddynho, passando por Fernando Holiday e Angela

Davis, o Mano a Mano recebe diferentes personalidades para conversas sinceras

de duas horas. Após um período recluso durante a pandemia de coronavírus, a

primeira temporada conta com o retorno do vocalista do grupo Racionais à cena,

com provocações sobre as mazelas brasileiras e o povo que as vive

cotidianamente.

O podcast estreou com a presença de Karol Conká, cantora e ex-

participante do Big Brother Brasil, reality em que sofreu intensos ataques a seu

comportamento, durante sua participação, e forte rejeição, após sua saída. Logo

no episódio inaugural, lançado em 26 de agosto de 2021, nota-se uma

convicção na fala, cuja eloquência se permeia ao longo das três temporadas,

posto o embasamento prévio dos entrevistadores, o qual permite imersão no

pensamento do entrevistado, que passa a responder às indagações de modo

verdadeiro consigo e com quem o ouve.

Em um dos episódios da segunda temporada, Brown recebe os jornalistas

investigativos Cecília Olliveira e André Caramante para debater segurança

pública. “Nós nos tornamos jornalistas porque a gente tinha raiva, a gente tinha

indignação”, diz Caramante. Pauta difícil e complexa, repleta de nuances, é

conduzida com fluência e clareza pelos apresentadores. O ouvinte consegue

compreender a relevância do jornalismo na sociedade quando os entrevistados

denunciam os interesses sórdidos, normalmente velados, de quem detém

privilégios histórico-sociais e, não menos importante, poder.

Comunicador nato, Mano Brown é, inegavelmente, um dos fatores para o

programa ter sido o segundo mais escutado da plataforma logo em seu ano de

estreia. Além da articulação fácil do apresentador, o roteiro bem estruturado e as

informações trazidas à luz do debate são pontos-chave para tamanha

repercussão, e o crédito a tais feitos deve ser atribuído à co-apresentadora

Semayat Oliveira. “Eu saí da zona de conforto. Eu não tenho experiência com

esse tipo de trabalho. Fazendo, você entende como é difícil, para um jornalista,

ou repórter, ter que vincular notícia, abordar um convidado e tirar dele a

verdade, tirar o que você quer que as pessoas saibam. Isso é uma ciência

também, não é simples.", assume Mano na coletiva de estreia, promovida pelo

Spotify.

Mano Brown e Semayat Oliveira durante a gravação do podcast. (Foto: Jef Delgado)

Nascida no Jardim Miriam, zona sul de São Paulo, Semayat é a terceira

voz na mesa de discussão, além de Mano Brown e o entrevistado da vez. Tendo

já realizado trabalhos como repórter, analista e coordenadora de comunicação, a

jornalista é co-fundadora e diretora de conteúdo do projeto Nós Mulheres da

Periferia, redação que visa projetar o olhar de mulheres periféricas a respeito de

temas atuais.

Jornalistas independentes vêm sendo cada vez mais presentes em grandes

produções. A assessoria de Semayat, ao longo das entrevistas, contextualiza

assuntos e ajuda no encaminhamento das perguntas do podcast. A profissão que,

tantas vezes, é vista como dispensável, mostra-se, com a obra de cunho

jornalístico de Mano Brown, como um alicerce democrático e popular,

consistente e instruído pelos saberes acadêmicos e práticos. O jornalismo é

fundamental para conter a contenção de ideias.

Episódios inéditos do Mano a Mano vão ao ar às quintas-feiras,

exclusivamente no Spotify.



14 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page