Buscar

Do BREXIT à guerra na Ucrânia: Petit Journal e a cobertura de grandes acontecimentos internacionais

Maria Clara de Paiva


Você tem cinco minutinhos por dia para se atualizar sobre economia e política internacional?


É assim que o podcast Petit Journal chama seus ouvintes para acompanhar o noticiário. Idealizado pelo economista Daniel Sousa e o professor de relações internacionais Tanguy Baghdadi, o programa entrou nos holofotes ao realizar plantões diários sobre um dos conflitos recentes mais relevantes da política internacional: a guerra da Ucrânia. Criado em 2016, no desenrolar do Brexit - processo de saída do Reino Unido da União Europeia -, o projeto não era inicialmente um podcast. Tratava-se de um site com suporte de arquivos de áudio, que tinha a ideia de explorar temas atuais de forma rápida e com qualidade. Em um universo de informações fragmentadas e incompletas, o Petit surgiu como uma fonte de informação confiável, simples e crítica.


Em entrevista para o ECOcast, projeto do laboratório de texto 1 do curso de Jornalismo da ECO-UFRJ, Tanguy conversou sobre o conflito e a cobertura que vem realizando no podcast. Ao ser perguntado sobre a escolha da periodicidade dos episódios, relembrou o momento em que a necessidade de aumentar a frequência apareceu:


“Em 2021, a gente percebeu que existiam alguns eventos que mereciam uma atenção um pouco maior. O clique para isso foi quando os Estados Unidos saíram do Afeganistão e teve aquela volta do Talibã no poder. Naquele dia a gente resolveu gravar um bate papo especial. Foi muito bom por ser um momento no qual todos estavam se perguntando o que diabos estava acontecendo e o que tudo aquilo significava. Então a ideia que ficou era que sempre que acontecesse alguma coisa mais importante a gente podia gravar um episódio rápido (...) Quando a guerra estourou, houve uma demanda muito grande por entendimento acerca do que estava acontecendo, sobre o que era o antes e como se chegou até lá. A gente gravou o primeiro episódio, que acho que foi o maior que a gente teve até hoje, com a contextualização, e a partir daí a gente sentiu a necessidade de falar sobre o que estava acontecendo, só que acontece tanta coisa que assim começaram de fato os plantões diários.”


Durante 60 dias, o podcast se voltou exclusivamente para a realização diária desses plantões, sempre com novas e relevantes informações. Hoje, já de volta ao formato de bate-papos gerais, continua entregando atualizações diárias sobre a Guerra, mas englobando, também, outros assuntos do cenário internacional. A organização que antes era baseada em colunas curtas e bate papos semanais mais longos, transformou-se devido ao volume e frequência dos acontecimentos: “Não foi a gente que escolheu, foi o mundo que escolheu, o mundo ficou louco e a gente apenas narra o apocalipse”, brincou o professor.

As tensões no Leste Europeu, que já eram antigas - reflexos da dissolução da União Soviética e da recente anexação da Crimeia em 2014 -, voltaram a se agravar no final de 2021, com a ameaça da entrada da Ucrânia na Otan, resultando na atual guerra que segue firme até hoje, mais de três meses depois. De início, a expectativa que se tinha era de que a Rússia tivesse uma facilidade maior e liquidasse a guerra com rapidez, mas não foi o que aconteceu. A imprevisibilidade de grandes acontecimentos, a velocidade de sua repercussão e o alcance de suas consequências são fatores importantes na produção de conteúdo jornalístico e, como aponta Tanguy, ressaltam as vantagens dos novos meios de comunicação digitais, mais ágeis. “Essa é a grande vantagem da mídia podcast, essa agilidade, se agora a gente decidir fazer uma pauta rápida e gravar, uma hora depois já está no ar”.


Com a quebra da expectativa de um encerramento rápido da guerra e a expansão do ataque russo em todo território ucraniano, a reação internacional foi imensa, gerando uma quantidade muito grande e constante de notícias, o que resultou em uma superprodução de conteúdo pela mídia: “Quando a gente tinha os bate-papos semanais, era muito comum ficar procurando pauta, mandar mensagem faltando meia hora para a hora da gravação procurando mais pautas interessantes, porque às vezes, de fato, não tinha tanto assunto assim. Hoje, a gente faz diário e às vezes tem que tirar pautas, elas estão lá e a gente tira porque não vai caber”, revelou Tanguy.


Capa do episódio no Spotify (Imagem: Reprodução)


Para assistir o episódio completo do ECOcast com Tanguy, acesse: https://open.spotify.com/episode/5wTvnJt04psSyq8MLZAfMq?si=609cc2391daf460d



19 visualizações0 comentário